domingo, 11 de setembro de 2011

CINEMA LUMIÈRE DESRESPEITA O PÚBLICO DE PONTA GROSSA

Comigo foi a segunda vez: após consultar o site do Cinema Lumière, grupo proprietário das salas do Shopping Total, lá fui eu assistir à comédia “Professora Sem Classe”, com Cameron Diaz. Chegando lá, a informação foi de que o filme não estava em cartaz!
A primeira vez foi com “Bróder”, filme vencedor do Festival de Gramado no ano passado.
É, no mínimo, um desrespeito ao público.
Mas isso não é o pior.
A reabertura dos cinemas do Total gerou a expectativa de uma programação comercial mais diversificada na cidade.
O que se vê, no entanto, é uma programação que simplesmente repete a concorrência, sem um mínimo de visão de mercado.
Nem se trata de almejar uma proposta alternativa ou “cult”.
Falo de visão comercial mesmo.
Nas últimas semanas, por exemplo, estrearam diversos filmes razoavelmente competitivos nos cinemas brasileiros, que não foram exibidos pela Cinematográfica Araújo (Shopping Palladium) e que poderiam ser uma alternativa ao Cinema Lumière, oferecendo uma programação mais diversificada ao público da cidade e atraindo mais espectadores: “O Homem do Futuro”, “A Árvore da Vida”, “Amor à Toda Prova”, “Onde Está a Felicidade”...
Além disso, não se pode esquecer que a projeção é ruim. O Araújo sempre será uma opção melhor nesse quesito, especialmente se os filmes forem sempre os mesmos.
Agora, irritante mesmo é o slogan da propaganda do grupo: “a rotina fez sua última cena”!
Que nada.
A mesmice continua.
Com o acréscimo do desrespeito ao espectador.
Se continuar desse jeito, não dura muito tempo...

* Fábio Augusto Steyer. Professor no curso de Letras da UEPG, Especialista em Cinema (PUCRS) e Coordenador do projeto de extensão e pesquisa Cinemas e Temas (DELET/PROEX/UEPG).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário